Brasil tem internet mais lenta que Haiti, em média, diz estudo

Notícia bem esperada. Sou ufânica, afinal nasci aqui e opto por valorizar minha origem a enaltecer origem alheia, porém há de reconhecer que em terras tupiniquins  vira e mexe sempre estamos no ranking dos primeiros lugares no que é ruim e o último que é bom. Já percebeu?

Tudo bem, né? Isto não é novidade mesmo. 😦

O que diria a Telefonica (com Speedy), a Telemar-Velox e NET entre outras empresas? (e pensando ainda no preço que pagamos!)

#injuriada

Definição de ufanismo: ufanismo é a atitude ou posição tomada por pessoas que enaltecem o potencial brasileiro, suas belezas naturais,riquezas e potenciais.

O Brasil é o 163º em um ranking da média da velocidade da internet publicado pela Pando Networks. A velocidade média da conexão no Brasil é de 105 KBps (quilobytes por segundo), o que o coloca atrás de países como Níger, Haiti, Etiópia, Angola, Paquistão e Papua-Nova Guiné.

A cidade de Itapema, em Santa Catarina, tem a segunda conexão média mais lenta entre todas as cidades do mundo avaliadas: 61 KBps. Algiers, na Argélia, é a cidade com conexão mais lenta no mundo (56 KBps).

A Coreia do Sul é o país com conexão média mais rápida: 2,2 MBps. A Romênia ficou em segundo lugar, com 1,9 MBps. Três outros países do leste europeu vêm na sequência: Bulgária (1,6 MBps), Lituânia (1,5 MBps) e Letônia (1,4 MBps).

A lista, no entanto, não é composta apenas por países. O 49º lugar, por exemplo, é denominado “Anonymous Proxy”, e o 137º, “Satellite Provider” –referem-se, provavelmente, a conexões realizadas por meio de proxy e provedor via satélite cujo país de origem não pôde ser identificado.

A média mundial de velocidade de conexão à internet, de acordo com o estudo, é de 508 KBps. Nos Estados Unidos, a média é de 616 KBps. Na China, de 245 KBps.

O estudo se baseou em 27 milhões de downloads feitos a partir de 20 milhões de computadores no mundo.

fonte: folha.com
Anúncios

Chrome OS: agora é oficial

Foi oficializado nesta quinta-feira (19/11) o que era forte rumor: o Google lançará o sistema operacional Chrome OS, que tem a intenção de bater de frente com os rivais Windows, da Microsoft, além das inúmeras distribuições Linux para o mercado de netbooks.
O código é totalmente aberto. Desenvolvedores do mundo inteiro terão liberdade para trabalhar com as mesmas ferramentas dos profissionais da gigante da internet. O sistema operacional é baseado no Chromium, mesma estrutura utilizada no desenvolvimento do navegador Chrome.
Ainda não existem versões de testes ou equipamentos que trazem o novo sistema operacional. Mas em breve, os programadores poderão baixar o Chrome OS para estudá-lo, propor modificações ou criar suas próprias versões. O lançamento final, mesmo, só ocorrerá daqui 1 ano.
via olhar digital

Médicos usam robôs em cirurgias em SP

da Folha de S. Paulo

O robô Da Vinci não tem aspecto humano, mas já ajudou muita gente. Ele é usado para tornar as cirurgias menos invasivas e propiciar uma recuperação mais rápida, segundo Marcelo Cerdan Torres, do Hospital Sírio-Libanês.

Em São Paulo, o Hospital Albert Einstein também realiza tratamentos com a máquina.

O robô se divide em três partes: a que acomoda o médico, os braços que agem sobre o paciente e uma torre que processa imagens e as envia para o cirurgião –em três dimensões.

No Da Vinci, o cirurgião tem à sua disposição duas telas, é possível ampliar a imagem até 20 vezes e calibrar como cada movimento chegará à ponta da pinça, segundo Torres.

O robô tem sido usado em várias cirurgias, apesar do seu custo. Segundo Cássio Andreoni, do Albert Einsten, o preço da operação aumenta em cerca de 30% com ele.

assinatura_blog

Windows 7 chega às lojas amanhã para apagar fiasco do Vista

09295116Chega amanhã às lojas do mundo inteiro o Windows 7, o novo sistema operacional da Microsoft.

Uma de suas missões é expurgar as nódoas que o antecessor, o malfadado Vista, deixou na reputação da empresa.

As novidades do Windows 7 vão desde os novos recursos de segurança até aquelas aparentemente banais –como os papéis de parede multicoloridos desenhados por vários artistas.

Com a pecha de pesado e problemático, o Vista, lançado em 2006, foi preterido por muitos usuários em favor da versão anterior, o Windows XP, introduzido no distante ano de 2001.

A expectativa da Microsoft é que, com o lançamento do Windows 7, as pessoas finalmente atualizem seus sistemas operacionais -hoje ecoa nos ouvidos da empresa um agradável uníssono da mídia especializada em tecnologia, que, em sua maioria, fez avaliações bastante positivas do novo sistema.

Ainda assim, até o sempre efusivo e autoconfiante executivo-chefe da empresa, Steve Ballmer, está cauteloso. “O feedback dos testes [do Windows 7] foi bom, mas o feedback dos testes do Vista foi bom. Estou otimista, mas é ver para crer”, disse à Bloomberg.

O site Technologizer fez uma minuciosa retrospectiva (bit.ly/bomvista, em inglês) de textos publicados à época do lançamento do Vista -a maior parte deles elogiosa ao hoje malvisto sistema.

0929445

Netbooks

Um dos trunfos do Windows 7 é sua afinidade com os netbooks, laptops ultraportáteis de baixo custo cujas vendas seguem em crescimento exponencial. Diferentemente do Vista, exigente demais, o Windows 7 funciona bem nessas maquininhas com capacidade reduzida de processamento.

Em diferentes versões, o Windows domina 92,77% do mercado mundial de sistemas operacionais, seguido por Mac OS X (5,12%) e Linux (0,95%), segundo a Net Applications.

No Brasil, os preços do Windows 7 vão de R$ 329, pela edição Home Basic, até R$ 669, pela versão Ultimate.

Por: folha online(caderno informatica)

assinatura_blog

Governo federal quer apresentar estatuto para internet

da Folha Online

O governo federal quer uma regulamentação civil para internet, a fim de determinar a responsabilidade civil dos usuários e dos provedores.

A abertura de canal para opiniões e argumentos sobre o que deveria ser regulado será feita por intermédio de um blog adaptado, cujo lançamento vai ocorrer até o final deste mês.

Os temas que o governo deseja discutir são responsabilidade civil de provedores e usuários, a privacidade dos dados, a neutralidade da rede (vedação de discriminação ou filtragem de conteúdo, seja política, seja econômica, seja jurídica) e os direitos fundamentais do internauta, como a liberdade de expressão. O blog colherá opiniões durante 45 dias.

Além das discussões propostas para um marco civil para internet, a intenção também é enfraquecer a Lei Azeredo, para construir uma proposta criminal mais “enxuta”. Alguns pontos da lei, no entanto, devem ser aproveitados –como a criminalização da falsificação de documentos eletrônicos.

assinatura_blog

Entenda o que é boleto eletrônico e como funciona

da Folha Online

Os bancos implementam oficialmente, a partir de 19 de outubro, o DDA (Débito Direto Autorizado), uma espécie de boleto eletrônico que tem objetivo de agilizar a comunicação de gastos com o cliente e reduzir a impressão de boletos, dentro de uma estratégia de preservação do ambiente. Veja abaixo as principais questões respondidas pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos).

O que é o DDA?
O Débito Direto Autorizado é um novo serviço de apresentação eletrônica de boletos, que os bancos oferecerão aos seus clientes a partir de 19 de outubro de 2009.
Cada banco definirá quais canais disponibilizarão os boletos eletrônicos, entre eles a internet, o caixa eletrônico e o telefone.

Como participar do DDA?
O cliente pessoa física ou jurídica se cadastra como “sacado eletrônico” em um ou mais bancos nos quais tem conta. Basta preencher um formulário com informações pré-definidas pelo banco.
A empresa que receberá o pagamento (cedente) se cadastra no banco de seu relacionamento, para que suas cobranças sejam registradas e emitidas pelos bancos.
Se o cliente pagador (sacado) estiver cadastrado e se o recebedor (cedente) tiver registrado as suas cobranças, será possível visualizar o boleto eletrônico pelo DDA.

Qual o investimento do setor no DDA?
Um dos investimentos foi o de contratação da TIVIT, por R$ 20 milhões, mais R$ 77 milhões nos próximos 9 anos.
Além disso, cada banco está investindo para se adaptar tecnologicamente ao DDA. O valor total do setor não foi consolidado.
Em 2008, o setor bancário aportou R$ 16,2 bilhões em tecnologia, dos quais R$ 6,5 bilhões foram em investimentos.

Quais boletos serão apresentados no DDA?
Poderão ser visualizados pelo DDA os boletos de cobrança, também conhecidos como ficha de compensação ou bloqueio de cobrança.
Os boletos são um instrumento de cobrança bancária com os dados da conta a ser paga. Esse documento pode ser pago em qualquer banco até a data de vencimento.
Contas como taxas de condomínio, planos de saúde, mensalidades escolares, assinaturas de publicações, etc.
Para serem visualizados, os boletos devem ser registrados pelo recebedor (cedente) num banco e o pagador (sacado) também deve se registrar num banco.
No início, tributos e serviços de concessionárias (água, luz, gás e telefone) NÃO serão apresentados pelo DDA.

Por que os tributos e serviços públicos não estarão no DDA?
Porque o sistema de recolhimento e pagamento dos tributos e serviços públicos é diferente do existente para boletos de cobrança. Para incluí-los é preciso criar outro sistema. Por isso, começamos pelos boletos, para os quais os pagamentos já contam com um sistema interligado de cobrança entre todos os bancos do país, ao contrário do que ocorre com tributos e serviços.

Onde ficam armazenados os boletos eletrônicos do DDA?
Todas as informações ficarão armazenadas no banco de dados da CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos).

Como será possível se cadastrar no DDA?
O cliente deve procurar seu banco para saber exatamente qual a data em que começa o cadastramento naquela instituição. Mas a visualização só começará no dia 19 de outubro.

Como funciona a emissão do boleto pelo DDA?
1 – O cobrador (condomínio, clube, loja de eletrodomésticos etc.) solicita ao seu banco de relacionamento a emissão do boleto de cobrança da conta a ser paga;
2 – O banco do cobrador verifica se o pagador é um Sacado Eletrônico, ou seja, se está cadastrado no DDA. Se estiver cadastrado, as informações do boleto de cobrança serão enviadas ao DDA;
3 – O banco no qual o pagador (sacado) se cadastrou buscará no DDA todos os boletos de cobrança de seu cliente e os colocará à disposição para visualização pelos canais eletrônicos;
4 – Os boletos ficarão disponíveis para consulta, mas o pagamento continuará sendo uma opção do cliente.

Com o DDA, como fazer para pagar boletos vencidos?
Nesses casos, o cliente pede ao seu banco as informações sobre o boleto vencido e se dirige ao banco emissor do documento para realizar o pagamento.

*O que acontece se uma conta que está no DDA não for paga? O nome do pagador (sacado) irá para os serviços de proteção ao crédito?
Sim. As regras de pagamento e obrigações dos boletos eletrônicos são as mesmas que existem hoje para os boletos impressos. O DDA é uma nova forma de visualizar o boleto e não uma regra nova para o pagamento.

Qual a diferença entre o DDA e o débito automático?
No DDA o cliente visualiza a cobrança e decide se e quando vai pagá-la.
No débito automático, há um acerto prévio com o banco de que a conta será debitada automaticamente na data de vencimento.
Por isso, o DDA não é um débito automático. Ele é uma forma eletrônica de visualizar os boletos de cobranças.
Mas é possível incluir no débito automático as contas apresentadas pelo DDA.

Mesmo com o DDA o pagador da conta receberá a cobrança em papel?
Sim, a cobrança em papel pode continuar acontecendo se:
1 – Quem cobra (cedente) registrar a cobrança e também decidir enviar o boleto de cobrança impresso para o cliente;
2 – Se o cobrador (cedente) não aderir à cobrança registrada oferecida pelo seu banco;
3 – Se a conta for de concessionária de serviços (água, luz, gás e telefone) e de tributos;
4 – Se a cobrança não for registrada em nenhum banco.

O que fazer quando se receber o mesmo boleto na forma impressa e na eletrônica?
O cliente pode ignorar o boleto impresso e pagar o boleto eletrônico. Se fizer o pagamento pelo boleto impresso, a conta será excluída do DDA um dia depois de quitada.
O recebimento de um mesmo boleto impresso e eletrônico não significa dupla cobrança. Por isso, uma vez pago o boleto, a dívida será liquidada.

É possível imprimir um boleto que está no DDA e pagá-lo em qualquer banco?
Não. O pagamento desse boleto só poderá ser feito eletronicamente no banco em que está cadastrado e em que pode ser visualizado. Os boletos não terão código de barras. Por isso, não adianta imprimi-los.

Quais são as dificuldades do sistema atual de cobrança?
Para o cobrador (cedente):
1 – O fluxo de cobrança até a liquidação –emissão/impressão dos boletos de cobrança pelo cedente até a chegada ao sacado– dura de 5 a 8 dias, incluindo o período de postagem do boleto.
2 – Além disso, o boleto circula por diversos meios até chegar ao destinatário. Durante esse trajeto, pode haver extravio, danificação por chuvas, adulteração do documento, etc.

Para o pagador (sacado):
1 – Há um acúmulo de papéis, com o recebimento de boletos impressos.
2 – Boletos podem ser extraviados, avariados, adulterados, etc.
3 – Quando o pagador é uma empresa, os entraves aumentam:
– Alto volume de papel e trabalho operacional – digitação ou leitura do código de barras;
– Necessidade de contratar terceiros para consolidar os arquivos de varredura;
– Dificuldade para distribuir pagamentos em vários bancos;
– Morosidade ou não chegada do boleto à tesouraria e à área de contas a pagar.

Quais os benefícios do DDA?
Para o cobrador (cedente):
– Agilidade (o ciclo comercial poderá ser reduzido a dois dias),
– Rapidez,
– Certeza da entrega,
– Integridade dos dados,
– Segurança,
– Facilidade no envio de instruções.

Para o pagador (sacado):
– Fácil acesso,
– Sigilo e confidencialidade,
– Segurança,
– Fim das correspondências misturadas,
– Certeza do recebimento e a tempo,
– Automação do processo do contas a pagar,
– Redução do tempo de envio e disponibilização do boleto ao cliente.

Qual é o volume de boletos processados pelos bancos atualmente?
O volume gira em torno de 2 bilhões ao ano (base 2008). Entre eles estão planos de saúde, consórcios, financiamentos de carro e casa própria, taxas de condomínio, cartões de crédito e cobrança entre empresas. Anualmente, esse volume cresce 12%.
Existe a meta de migrar para o DDA 50% do volume de boletos nos próximos 3 anos. Portanto, com o crescimento de 12%, em três anos seriam 50% de cerca de 2,7 bilhões de boletos.
Possivelmente o DDA incentivará as empresas que não emitem boletos a utilizar essas fichas de compensação nas cobranças.

Quanto custará o novo serviço?
Cada banco está analisando seus custos. A exemplo de outros serviços, pelas normas do Banco Central as instituições são livres para cobrar tarifas segundo suas estratégias de negócios e atuação.

Todos os bancos associados à Febraban fazem parte do DDA?
Cerca de 70 bancos já aderiram ao DDA para participar diretamente do sistema. Este grupo de bancos detém mais de 99,9% da cobrança emitida no país.

assinatura_blog

Google Wave ambiciona “revolucionar” comunicação na web

Foi Google… sem dúvida informo por aqui. Sou fanzoca da tecnologia Google (simples e funcional)

😉

da Folha Online

O Google Wave, novo produto da companhia norte-americana que mistura e-mail, rede social e MSN, tem uma ambição nada modesta, nas palavras dos seus criadores: revolucionar a comunicação feita por intermédio da internet.

Além de agregar os formatos de comunicação, o serviço quer a junção de games e aplicativos à plataforma –embora não tenha explicado como, exatamente, vai evitar a “canibalização” dos serviços. A plataforma foi lançada nesta quarta-feira (30), em caráter de testes, em distribuição exclusivíssima e limitada a 100 mil sortudos, dentre 1 milhão de internautas que se inscreveram para testá-la. Não há data estipulada para que ela seja aberta a outros usuários.

09272138

Google Wave, nova plataforma da companhia norte-americana lançada hoje, integra e-mail, MSN e rede social

“Isso deve ser algo que todos usam e que todos querem”, disse o criador do Google Wave, o australiano Jens Rasmussen –que, junto ao irmão Lars, também assina o desenvolvimento do Google Maps. Segundo ele, a expectativa é a de que o serviço substitua o e-mail como o meio pelo qual as pessoas conversam na internet –além de melhorar a eficiência e a colaboração da comunicação pela internet.

No Wave, de acordo com a rede de notícias CNN, comunicações de e-mails podem ser editadas por diversos usuários simultaneamente. E os usuários podem conversar em algumas seções do documento no Wave em tempo real, onde todos os usuários veem o que a pessoa está digitando –além de como isso é digitado. Se a pessoa vem para a conversação mais tarde, os usuários podem “atualizá-la” de qualquer coisa que ela tenha perdido.

Os blogs de tecnologia dos EUA celebraram o lançamento do produto –mas alguns levantam ressalvas sobre como o Google Wave pode ser muito complicado para os usuários “mainstream” da internet. Para se ter uma ideia, em um vídeo, os irmãos Rasmussen gastam 20 longos minutos explicando a plataforma.

Ironicamente, o site TechCrunch escreveu que o Wave ainda é uma “gota com ambição”, mas que será “uma nova plataforma de comunicação para uma [igualmente] nova internet”.

“O Wave oferece uma maneira muito elegante e fácil de navegar e participar de comunicação na internet, e que faz os e-mails e mensagens instantâneas ganhar uma aparência envelhecida”, diz o site.

De acordo com o site CNet, no momento, entretanto, o Google Wave é uma festa de erros –e talvez leve meio ano para que haja um produto estável. O site afirma ainda que engenheiros do Google estão resolvendo muitas das persistentes falhas que prejudicam o produto há alguns meses –mas há um longo caminho a percorrer. Daí o fato de ser considerado uma “prévia”, diz Rasmussen. “Ainda assim, é melhor do que a ‘prévia em desenvolvimento'”, status no qual o serviço estava até então, disse o site.

assinatura_blog