Reduzir pirataria cria empregos, diz BSA

A redução da pirataria produz receita para a indústria de software, traz ganhos para empresas ligadas à tecnologia de informação, gera empregos e proporciona maior arrecadação de impostos.

Estas são algumas conclusões do estudo “Os Benefícios Econômicos da Redução da Pirataria de Software”, apresentado pela BSA (Business Software Alliance) e pela IDC na semana passada.

O estudo avalia que baixar a taxa de pirataria do Brasil dos atuais 56% para 46% nos próximos quatro anos resultaria em um aporte extra de US$ 3,9 bilhões.

Como vice-presidente da BSA (Business Software Alliance), Jodie Kelley gerencia todas as atividades antipirataria da associação em mais de 80 países, representando fabricantes de software, como Microsoft e Apple.

Kelley falou com a Folha sobre o estudo e sobre as atividades da BSA no Brasil. Confira os principais trechos:

*

Folha – Quais são suas expectativas sobre a pirataria de software no Brasil em 2011 comparada com 2010? A taxa vai subir ou descer?

Jodie Kelley – É muito difícil prever se a pirataria vai crescer ou cair no Brasil. Entretanto nós estamos vendo uma dedicação muito forte do governo combater a pirataria e uma forte aceitação em novas medidas educacionais em todo o país. Os 8% de declínio na taxa de pirataria nos últimos quatro anos no Brasil definitivamente são um bom sinal.

As denúncias de internautas são significantes?

Kelley – Nós recebemos denúncias de pirataria de várias formas na BSA. Principalmente, denúncias são feitas diretamente para nossos representantes locais, bem como na nossa página bastade pirataria.com. No Brasil, desde 2008, nós recebemos mais de 8.000 denúncias de pirataria pela internet, o que corresponde a cerca de metade de todas as denúncias que recebemos do país até agora.

Como o Brasil está localizado no ranking global de pirataria, de acordo com o estudo da IDC e financiado pela BSA?

Kelley – A pirataria de software no Brasil está estimada em 56%, com o valor comercial dos programas não-licenciados chegando a US$ 2,25 bilhões. Nos últimos quatro anos, o país teve uma redução de 8% na taxa de pirataria.

A atual taxa é mais baixa do que a média da América Latina, que é de 63%. Nós não fazemos um ranking global, porque nem todos os mercados podem ser comparados, mas entre os países do grupo Bric (Brasil, Rússia, China e Índia), Brasil tem a menor porcentagem. China tem 79%, Rússia tem 67% e Índia 65%.

fonte: folha

Aprendendo com Barack Obama – Estratégias digitais para as eleições 2010

Enquanto Hillary Clinton, esposa de um ex-presidente americano, e John McCain, um respeitado senador americano, pensavam como iriam se enfrentar na disputa eleitoral americana, surge um jovem afro-americano, nascido em Honolulu, Havaí, com sobrenome árabe, que sai do quase anonimato para tornar-se o 44º presidente americano, com uma estratégia de campanha fortemente baseada em redes sociais, mensagens de celular, voluntários e micro-financiamento.

Mas, apesar do grande feito de Barack Obama, a maioria das pessoas desconhece o que de fato aconteceu nos Estados Unidos, e o que contribuiu para a sua eleição.

O que Obama e sua equipe fizeram com redes sociais e com a tecnologia móvel, já era feito por ele quando trabalhava em Chicago como líder e advogado comunitário na década de 90: mobilizar voluntários por uma causa justa. O que ele fez em Chicago durante seis anos para pequenas comunidades, ele conseguiu reproduzir em menos de 18 meses por todo os Estados Unidos durante as prévias e, depois, na campanha presidencial.

O que de fato mudou nestes 18anos, entre sua formatura em Harvard e sua posse como Presidente dos Estados Unidos da América, foram os meios e as tecnologias, que viabilizaram a velocidade, abrangência e a eficácia necessárias para implementar aquilo que Obama sabia que funcionava com o povo americano.

O grande mérito do atual presidente americano, que mudou a forma de se fazer política no seu país – e mudará em todo o mundo – , foi o de ficar atento à evolução dos meios, mídias e tecnologias, para usá-los, assim que fosse viável e necessário, a seu favor e, mais importante, antes que seus concorrentes tivessem coragem de fazê-lo.

Pense nisso: A grande questão é estar atualizado, ter visão e coragem de implementar uma nova ação digital antes dos seus concorrentes. Esse é o diferencial competitivo do novo milênio.

Obama começou sua campanha com uma quantidade ínfima de recursos financeiros e operacionais mas, por ter adotado as tecnologias certas no momento certo, ao final da campanha já tinha captado, com doações de campanha, mais que o dobro do que seu concorrente conservador, John McCain.

Então não interessa se neste momento você é um grande político de abrangência nacional, ou um pequeno candidato de um pequeno partido, prepare-se para o que vem por aí e passe na frente de todos.

Mas vamos aos pontos fundamentais da campanha de Barack Obama e que podem ser aplicados no Brasil na campanha eleitoral de 2010:

1. Seja social: As mídias sociais permitem criar relacionamentos duradouros com uma legião de seguidores. Não se trata de invadir o Twitter ou Orkut com mensagens publicitárias, mas permitir que as pessoas se organizem e transmitam voluntariamente sua mensagem através delas. As mídias sociais permitem que você se apresente diretamente ao eleitorado, com um custo muito mais baixo e um impacto muito maior que o da publicidade tradicional. Durante a campanha eleitoral americana, a equipe de Obama esteve presente em todas as principais redes sociais, disponibilizando material e informações para os milhares de voluntários engajados na campanha. Lembre-se de que o brasileiro já passa três vezes mais tempo na Internet que na televisão, e mais de 80% dos Internautas participam de alguma redes sociais.

2. Seja ágil: O celular é um sucesso inegável, e se tornou uma plataforma móvel para interação, navegação e envio de mensagens de texto. Assim é possível criar uma estratégia de e-mail marketing móvel, ou SMS marketing, que mobilize os voluntários e o eleitorado na campanha. Não se trata de enviar mensagens não solicitadas para milhares de pessoas, mas sim de criar uma base de voluntários que pode ser acionada de forma ágil e barata. Quando Obama iniciou sua corrida eleitoral nas prévias do partido democrata ele contou com um aliado poderoso: seu BlackBerry. A equipe de Obama cadastrou milhares de voluntários e obteve seus números de celular. A partir daí usou as mensagens SMS para distribuir tarefas, que incluíam o contato com os amigos e a obtenção de novos números de celular para aumento da base de voluntários. Antes de cada prévia os celulares dos eleitores de cada região recebiam mensagens com informações das ações necessárias e o que cada um deveria fazer. A mobilização e a agilidade alcançadas com as mensagens SMS, enviadas para os telefones celulares de milhares de voluntários, foram decisivas.

3. Seja transparente: Criar um ambiente na Internet que permita ao eleitor acompanhar a campanha, contribuir para seu candidato, e interagir com o partido, leva naturalmente ao voluntariado, à transparência, e ao micro-financiamento. O site My.BarackObama.com reproduziu as ferramentas de sucesso do Facebook e serviu a dois propósitos: Criar uma estrutura de micro-financiamento, onde voluntários se dispunham a arrecadar pequenas quantias para a campanha, e criar um ambiente de divisão de tarefas e atividades, onde os voluntários sabiam o que tinham que fazer antes mesmo da chegada da comitiva e do candidato a sua cidade. Os dois juntos representaram mais da metade dos recursos da campanha de Barack Obama.

4. Comece já: Nos novos tempos da Internet o volume de informações e a velocidade de troca são imensos. Portanto não adianta começar junto com seus concorrentes. Você deve começar antes de todos, quando ninguém pensa ainda sequer em planejar ações. A campanha de Barack Obama na Internet começou muito antes das prévias do partido, e foi crescendo e ganhando velocidade. Vencer Hilary Clinton, para muitos foi uma surpresa, mas na verdade foi fruto de um trabalho iniciado muito antes de todos os outros candidatos.

5. Seja contínuo: Não seja uma onda, seja um rio. A continuidade das relações e das atividades é fundamental para o crescimento e para a manutenção de relacionamentos duradouros. Os partidos aparecem esporadicamente, e os candidatos, que não estão no poder, só aparecem durante as campanhas. Criar um movimento contínuo, que junte eleitores e voluntários em torno de suas ideias, e na sua luta, ajuda a criar uma base forte e sólida. O site My.BarackObama.com continuou a existir mesmo após as eleições. Ele agora tem outras funções, mas mantém acessa a chama, o entusiasmo e a interação com seus eleitores.

A estratégia da campanha de Barack Obama e sua aplicação às eleições brasileiras de 2010 vão muito além deste artigo. Mas ele serve para lhe dar uma visão ampla do que pode ser feito. Se você quer um conselho final: Não espere, comece já. Quanto antes você iniciar, menos recursos vai investir e melhor será o resultado.

via: imasters/claudio torres

assinatura_blog

Cursos de Inglês na faixa

Olá pessoas,

Nossa pauta de hoje é sobre idiomas, em especifico, ingles.

Hoje saber inglês não é mais um diferencial… é obrigação!

(não somente em informática, mas em todas as áreas)

Infelizmente muitas pessoas não conseguem enxergar a importancia de saber o idioma.

Muitos dizem (em entrevistas, cotidiano e em currículos) ter ingles intermediário… e na realidade mal conjugam o verbo to be ou ao menos conseguem dialogar (em ingles) como foi o ultimo final de semana.

Que coisa feia! E pior…. passa um vergonhããããão na entrevista!!!

😛

Inglês intermediário significa  ler, escrever e conversar o suficiente a manter por exemplo um diálogo por telefone, com um prestador de serviço, ou mesmo comentar com uma amigo como foi o seu final de semana.

Considero o estudo de idiomas  infinito, pois a cada dia (assim como na lingua portuguesa ou qualquer outro idioma) aprendemos uma nova palavra, um novo significado.

OBS.:  Não basta apenas falar, tem que saber a gramma (gramática), assim como nós aprendemos em nosso idioma nativo desde os velhos tempos de primário (hoje ensino fundamental).

Portanto,  para você não marcar bobeira… deixo alguns links 0800 para você estudar (e levar a sério) pois o estudo pela internet existe a facilidade do acesso, mas acima de tudo tem que ter MUITA DISCIPLINA.

Links:

Quem souber outros links de idiomas que sejam bacanas e 0800 posta aí em baixo ok? Todos nós agradecemos! 😉

See you! 😉

assinatura_blog

Definição: sistemas de informação

Sou formada nesta louca área há uns 10 anos… parece muito tempo… mas não é!

Pois conceitos e definições que aprendi (como “boa” aluna na medida do possível)  😉  em sala de aula na época (Universidade Mackenzie – uma ótima e conceituada faculdade) muita coisa mudou de lá pra cá.

Claro que a base é a mesma… mas o mundo girou muito depois que a concluí… motivo o qual me faz abrir mão de algumas opções de trabalho para estudar, estudar e estudar. Pois a tecnologia é uma área na qual sem estudo, atualização, upgrade no currículo…  não se consegue um lugar ao sol.

Perde-se aqui… e ganha-se algo melhor ali, pois para quem sempre calibra seu currículo a visibilidade, oportunidade e respeito sempre vem a tona 🙂

Bom né!

Amo esta área.  Me dedico, reciclo conceitos e “re-leio” (se é que existe este termo) sempre que possível os materiais de base da facu e das pós que fiz.

Em tradução genérica:  Sem esforço não há resultado. Semelhante quando vc está “puxando ferro” na academia… precisa de dedicação, esforço para que tenha um resultado maneiro ( e só com o tempo, concorda?).

A vida também é assim e com toneladas e toneladas de ferro a serem puxados para que consigamos um resultado (seja ele qual for).

Mãos a massa pois o mundo gira e temos que fazer as coisas acontecerem. Quem fica parado é poste! (batida esta né?! kkk) 😉

E uma coisa é certa… trabalhar e estudar com afinco em busca de seus objetivos, certamente obterá  sucesso.

Vamos ver a definição desta mega e fabulosa área:

Sistema de Informação (em inglês, Information System) é a expressão utilizada para descrever um sistema automatizado (que pode ser denominado como Sistema de Informação Computadorizado), ou mesmo manual, que abrange pessoas, máquinas, e/ou métodos organizados para coletar, processar, transmitir e disseminar dados que representam informação para o usuário.

Além disso, o termo também é utilizado para descrever a área de conhecimento encarregada do estudo de Sistemas de Informação, Tecnologia da Informação e suas relações com as organizações. Neste contexto, esta disciplina é comumente classificada como uma Ciência Exata.

A área de conhecimento Sistemas de Informação é uma sub-área de Ciências da Computação.

Um terceiro uso para a expressão Sistemas de Informação refere-se a um curso de graduação cujo foco é o desenvolvimento e aplicação de Sistemas de Informação Computadorizados nas organizações. O conteúdo deste curso abrange aspectos técnicos, gerenciais e sociológicos, abrangendo, em linhas gerais, os conteúdos relevantes estudados na área de conhecimento Sistemas de Informação.

As concepções mais modernas de Sistemas de Informação contemplam também os Sistemas de telecomunicações e/ou equipamentos relacionados; sistemas ou subsistemas interconectados que utilizam equipamentos na aquisição, armazenamento, manipulação, gestão, movimento, no controle, na exposição, na troca, no intercâmbio, na transmissão, ou na recepção da voz e/ou dos dados, e inclui o software e hardware utilizados. Em relação a esta última definição, é comum nos meios acadêmicos a utilização do termo Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT – Information and Communication Technologies).

Um Sistema de Informação pode ser então definido como todo sistema usado para prover informação (incluindo o seu processamento), qualquer que seja o uso feito dessa informação.

Um sistema de informação possui vários elementos inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo), disseminam (saída) os dados e informações e fornecem um mecanismo de feedback.

fonte wiki

::LUCIANA COSTA ::

Palestra Gratuita – 08 de Junho – São Paulo

Compatibilidade de Aplicações no Windows 7

Palestra Gratuita – 08 de Junho – São Paulo

Venha entender os ajustes necessários que você deverá fazer para adaptar sua aplicação Windows XP ou Windows Vista para rodar perfeitamente em Windows 7. Yves Dolce estará em São Paulo para uma apresentação única sobre as novidades do Windows 7 na visão de plataforma de desenvolvimento.

Esta apresentação é aberta aos Parceiros Microsoft e Desenvolvedores Microsoft. Vagas limitadas!

Inscreva-se hoje mesmo e conheça os novos recursos do Windows 7. Saiba como utilizá-los em suas soluções, deixando-as compatíveis com o novo Sistema Operacional da Microsoft.

Palestrante: Yves Dolce – Consultor Microsoft Corporation – Apresentação em Inglês

Público Alvo: Tomadores de Decisão Técnica, Arquitetos e Desenvolvedores

Data: 8 de Junho de 2009 (segunda-feira)
Horário: das 9h às 17h

Local: Microsoft São Paulo (Av. Nações Unidas 12.901 – Torre Norte – 31º andar)

Inscrições: clique aqui para detalhes e inscrição.

Parceria SERT e SENAI

Olá Pessoal,

 

Sempre digo que quem tem informação… tem poder. Quem tem conhecimento… consegue enxergar novas portas e gerar novas oportunidades.

A SERT em parceria com a rede SENAI e SENAC está oferencendo opotunidades e novos horizontes a quem busca uma recolocação no mercado de trabalho.

E desde outubro (com imenso prazer) faço parte deste mega projeto.

🙂

Mega em todos os sentidos! 😉

Um projeto que não é apenas papel. É estratégia! É ação!

(digo com certeza, pois estou envolvida diretamente nele – E RELATO AOS PROJETOS QUE ESTOU ENVOLVIDA!)

Foi primeiramente planejado todo um escopo didático (planejamento, profissionais, material didático e material de apoio, …) cujo objetivo é preparar as pessoas para as novas exigências do mercado e reflexos da globalização.

Os alunos possuem aulas de Habilidades Gerais e Habilidades Específicas. Onde uma habilidade complementa a outra habilidade.

E imagine! Esta soma já está colhendo resultados produtivos e já podemos sentir alguns resultados iniciais com a formação das primeiras turmas (INF 1 a 7) -> Trabalhamos não apenas para treiná-los e sim capacitá-los, no quesito pessoa, profissional, perfil, entre outros pontos que nós trabalhamos em sala.

Eu (Profª Luciana) trabalho junto aos alunos desenvolvendo as Habilidades Específicas (área de tecnologia- Informática)- > que envolve a capacitação e desenvolvimento de perfil técnico para habilitá-los ao mercado de trabalho.

Porém, em Habilidades Gerais, contamos com o apoio e experiência de nossas amigas profissionais (Rosa e Cris) que dão todo o embasamento para desenvolvimento do auto-conhecimento, do  senso-crítico, auto-imagem de nossos alunos/profissionais.

E sabe o que é mais interessante nisto?

É perceptível que os profissionais envolvidos no front-job (Eu, Vania, Rosa, Cris) não estamos apenas em prol a um projeto e sim estamos envolvidas de corpo-alma e coração. 

O quanto isto é bom? Nem precisa responder, né?!

O sorriso responde, os shows em sala de aula respondem, o desempenho dos treinandos respondem! E os resultados… são visíveis! Mas sempre digo a cada treinando… que eles devem estar abertos a receber um leque (imenso) de informações que vão ajudá-los na vida profissional e pessoal.

É uma soma! E toda soma deve ser uma VITÓRIA! É esta sementinha que planto a cada dia. Assim espero que todos os treinandos (alunos) entendam cada palavra nossa, cada atividade, cada observação, pois como digo: “O currículo deles é o nosso currículo, portanto, plantamos neste período sucesso” -> O sucesso deles é o nosso sucesso!

Pois é, vamos plantando as sementes para que elas tornem grandes árvores, fincadas com raízes extensas e firmes e cheia de frutos.

( https://lucianacosta.wordpress.com/2009/01/27/turma-inf2-parabens/)

Prosperidade a todos!

:: LUCIANA COSTA ::

 

 

 

 

“MélDéus”! E agora?

“MélDéus” é apenas uma brincadeira de quando acontece algo que desconhecemos ou que foge de nosso controle e normalmente (sem querer) dizemos:  Meu Deus! E agora?  🙂

Muitas pessoas se deparam com esta situação, principalmente diante de alguma pergunta do entrevistador.

Em sala de aula sempre comento sobre o que o mercado de trabalho espera de nós profissionais de TI. E minha resposta é taxativa: precisamos de colaboradores com perfil multifuncional.

Um profissional que não se limita apenas a seus conhecimentos/ atividades. Um profissional que não tem apenas capacitação técnica (aliás isto é uma obrigação de todos nós profissionais!), mas que tenha funções que substituam 2 ou mais pessoas, que ele possa ter um foco profissional mais amplo, conhecimentos extra-área, que entenda da regra de negócio da empresa, que esteja envolvido de corpo e alma sem pensar no fator salário.

É muita coisa acontecendo! E precisamos estar antenados ao que está rolando ao nosso redor. É MUITA informação e POUCO, MUITO POUCO TEMPO.

E as exigências do mercado de trabalho? Supra! Um profissional multifuncional.

Lembro de uma entrevista  em uma das indústria que trabalhei e uma das perguntas era justamente o que  o colaborador achava da multifuncionalidade. 

Esta pergunta não é uma novidade! Ainda mais nos tempos de negócios, globalização, informação e etc.

A empresa busca pessoas com perfil pró-ativo, honesto (isto é nossa obrigação), cumpridor de deveres, responsável, capacitado, que trabalhe em equipe (poucas pessoas sabem exercer),  que vista a camisa da empresa, que saiba gerar soluções sobre problemas existentes, que apresente propostas viáveis, que saiba se portar diante de situações, paciente, entre outros ponstos a considerar.

Pouco? Que nada! Cada empresa busca por um perfil profissional, conforme cultura da empresa, código de ética, filosofia e tradição.

Se vira nos 30! (Se quiser manter ativo no mercado de trabalho!)

Até o próximo post.

:: LUCIANA COSTA ::