Celulares velhos valem US$ 15 mil por tonelada, diz estudo

Olá pessoal,

Lembro quando fiz minha primeira pós-graduação que minha professora (Marcia Ito – FATEC) comentou em sala na aula de robótica (se nao me engano) que o futuro era Meio Ambiente e Ecologia (e olha que não tem tannnnnnto tempo)  😉

Hoje é um assunto muito comum pois sempre ouvimos ou vemos algo correlato a “ECOTUDO” mas em 2000 este assunto de certa forma me pareceu um tanto estranho… Como extrair algo proveitável do lixo? Como faturar algo sobre o que as pessoas descartam?!

Pra você ter uma idéia: celulares em abundancia como existem hoje na na ni na não —–> não havia tal abundancia mesmo porque eram muito mais caros e tinham que durar por anos (pelo menos para eu que tinha que ralar pagando faculdade, trasnporte e plano mensal de celular)  😉

Mas o tempo passou e o assunto de alguns anos para cá é justamente o “ECOTUDO”.

Minha sugestão de hoje é este artigo (logo abaixo) extraído da folha de sp (online) onde explica bem o resultado dos tempos atuais.

Uma tonelada de celulares velhos contém metais no valor de US$ 15 mil dólares, e o mundo precisa de regras melhores para enfrentar as crescentes montanhas de lixo eletrônico nos países em desenvolvimento, observou uma aliança apoiada pela ONU na terça-feira (15).

“Muito equipamento termina no lixo” em países pobres, disse Rüdiger Kühr, chefe do secretariado da StEP (Solving the E-waste Problem), cujos mantenedores incluem agências da ONU e empresas como Microsoft e Nokia.

“Os processos e diretrizes que regem a reutilização e reciclagem de produtos eletrônicos precisam ser padronizados mundialmente a fim de conter e reverter o crescente problema do lixo eletrônico ilegal e do desperdício”, afirma um comunicado da StEP.

Kühr disse que a StEP, baseada em Bonn e criada em 2007, havia recolhido ideias em um encontro envolvendo 15 países, este mês, sobre melhores maneiras de limpar e regular as exportações.

Uma tonelada de celulares usados, ou cerca de seis mil aparelhos, contém por volta de 3,5 quilos de prata, 340 gramas de ouro, 140 gramas de paládio e 130 quilos de cobre, informou a StEP. Uma bateria de celular contém mais 3,5 gramas de cobre.

“O valor combinado desses metais supera os 15 mil dólares, a preços atuais”, afirmou a organização.

Muito lixo eletrônico é enviado a países em desenvolvimento, com a exploração de lacunas que permitem a exportação de computadores e televisores para reutilização no exterior, disse Kühr. Mas boa parte dessas exportações é formada por lixo ilegalmente exportado.

“Com muita frequência, o lixo eletrônico é incinerado, nos países em desenvolvimento, para a recuperação de metais”, afirmou a StEP. É um método barato e potencialmente lucrativo, mas emite toxinas, entre as quais metais pesados e dioxinas.

“A reciclagem, se conduzida devidamente, custa caro,” disse Kühr. Ele afirmou que existem pelo menos 700 contêineres de lixo eletrônico à espera em portos da África Ocidental, parte de uma montanha de cerca de 40 milhões a 50 milhões de lixo elétrico e eletrônico gerada a cada ano.

assinatura_blog

Indústria europeia se compromete a criar carregador único de celular

Já havíamos comentado sobre este assunto aqui no blog em momento oportuno… e parece que agora isto é pra valer.

Pudera! Para que tantos modelos e tipos de carregadores? Para irem ao lixo contaminar o meio ambiente? Tenho dois parados em casa.

Os principais fabricantes europeus de telefones celulares se comprometeram nesta segunda-feira (29) perante a Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) a criar um modelo único de carregador para todos os aparelhos que transmitem dados, que começará a ser comercializado em meados de 2010.

Em resposta a um pedido da Comissão para harmonizar os carregadores, dez empresas do setor assinaram de forma voluntária um memorando de entendimento, após concluir “negociações intensas e construtivas”.

Estas empresas (Apple, LG, Motorola, NEC, Nokia, Qualcomm, Research in Motion, Samsung, Sony Ericsson e Texas Instruments) representam 90% do mercado de telefones celulares, indicou, em entrevista coletiva, o comissário de Indústria da União Europeia, o alemão Günter Verheugen.

O comissário disse que o objetivo desta proposta é “facilitar a vida dos usuários” e reduzir o impacto ambiental de resíduos eletrônicos, já que “os consumidores não terão que se desfazer dos carregadores quando comprarem novos telefones”.

Segundo ele, o carregador universal funcionará por meio de um conector micro USB e servirá para todos os modelos de telefones celulares capazes de transmitir dados.

Os telefones antigos que só fazem chamadas poderão ser carregados por meio do novo dispositivo, mesmo que não tenham uma entrada micro USB, graças a um adaptador que também será comercializado, diz.

Verheugen também indicou que o objetivo da Comissão é que todos os equipamentos eletrônicos dos consumidores, incluindo dispositivos como telefone celular, computador portátil e câmera de fotos digital, contem com um carregador universal em um prazo de cerca de dois anos.

fonte: folhaonline

::LUCIANA COSTA ::